segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Texto de aniversário


Fiz 25 anos


Sou mais feliz do que mereço. Carrego mais culpas do que deveria. Sou grato por quem ainda está por perto de mim e nunca deixo de me perguntar como me aguentam até hoje. Com eles aprendi que o amor suporta o insuportável.


Um amigo uma vez me disse que os amigos se contam numa mão. Apesar de divergir da teoria por muito tempo, hoje concordo com ele. Talvez seja uma lição que só somos capazes de aprender depois de uma certa idade. Amigo não é quem reparte o doce da festa, é aquele que salga com o sofrimento das nossas lágrimas.

Confio menos em mim. Não sou muito bonito, nem tão inteligente e sou muito menos capaz do que achei que era. Que bom que descobri isso antes de fazer estragos maiores do que já fiz, porque eu reúno condições para provocar dores avassaladoras e intermináveis.

No começo, duvidei muito de mim por culpa. Depois, por consciência. A inevitável consequência foi duvidar de todos. Nós somos pessoas bem duvidáveis no final das contas. Eu, que já confiei profundamente na condição humana, hoje sou muito desconfiado, me pergunto duas ou três vezes sobre as intenções de todos. Fique claro, acho que somos confiáveis, mas não antes de passar pelo crivo da desconfiança e da dúvida. Ninguém que evite dúvidas a seu próprio respeito merece crédito.

Desisti de tentar justificar os moralistas, os faladores, os apontadores de dedos. Esses que condenam em público o que praticam em secreto. Eles são maus. Entendi que aqueles que falam mal dos outros o tempo todo odeiam, na verdade, a si mesmos. Como são incapazes de olhar para o espelho com honestidade, descontam nos outros.

Aceitei que sou o que sou, e isso me ajudou a aceitar que as pessoas são o que são. Não suporto gente de plástico. Mil vezes um defeito humano do que uma virtude de plástico. Quero distância daqueles que vivem para esconder quem de fato são.

Aprendi que o amor nem sempre fica. É preciso aprender a se despedir de quem amamos, porque quem a gente ama pode querer partir. Aprendi, também, que o amor pode ser silêncio e que é possível amar sem palavras. Tem vezes que não dizer nada já é dizer tudo.

Sou grato pelo passado. Não me iludo com o futuro. Valorizo quem está no presente. A vida acontece no ombro a ombro. Um olho no passado para não ser ingrato. Um olho no futuro para não esperar o que não virá. Dois olhos para olhar para o lado e valorizar quem está caminhando comigo. Quando a conta dos olhos não fechou, aprendi: para viver, são necessários quatro olhos. A vida não é uma conta matemática, é metáfora. Improvisei.

Viver é improvisar, e eu estou aqui pela primeira vez e ninguém me deu a chance de ensaiar o roteiro. Faço o melhor que posso - mas nem sempre dá. Tem vezes que faço o pior também. Mas tenho paciência comigo, porque tenho com os outros. Sei que não está fácil para ninguém. Errar faz parte do processo pedagógico da vida.

Faço a dor e faço a cura. Sou o sol e sou a chuva. Estou cada vez mais convencido de que a bondade é o único caminho entre minhas tensões. Não só as minhas, mas as do mundo. A gente é feito do mesmo pó ridículo, efêmero e insignificante. Daí a dignidade que cada um de nós tem.

Sinto mais dor nas costas e nos joelhos. Me canso mais rápido. Tenho mais dores de cabeça. A opinião dos outros me importa menos. Durmo todos os dias tentando me livrar de ressentimentos. Carrego arrependimentos intermináveis. Escrevo frequentemente sobre o amor porque escrever é mais fácil do que viver.

Fiz 25 anos como a maioria. Nada demais. Hoje vou viver minha vida de todo dia, que não passa de um sopro que só durará até a noite chegar definitiva. Essa é a maior virtude do amor: me distrair dessa lembrança, me fazendo sentir eterno.
x

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Oração

Meu Abba, pai..

 Dessa vez estou escrevendo para não esquecer nada.
Tem acontecido muita coisa, e muito rápido. De repente eu cresci. Estou realizando sonhos e vivendo desafios. Mas o curioso é que, não sinto medo. Acho que é porque percebo sua presença em todo tempo, e de alguma maneira, isso me acalma.
Eu ando um pouco agitado, mas queria te dizer que eu percebo. Eu tenho visto seu cuidado.. Deixou o céu todo laranja bem quando eu tive um tempo para ficar lá fora e vê-lo. Me abraçou através de uma menina de 6 anos, me deu uma lição de vida através de um seriado e fez os 3 semáforos demorados segurarem o verde no dia do neurologista. Ontem eu dormi muito bem e quando levantei pra ir ao banheiro ainda faltava muito pro despertador tocar, do jeito que o Senhor sabe que eu gosto. Tenho feito mais o que gosto e parece que isso está gerando uma correnteza boa por aqui.
. O Leonardo Gonçalves disse “Que a minha voz e a minha dor estejam em sintonia com o mundo ao meu redor”. Me faz sensível à eles.
Obrigado pela minha casa e tudo que ela tem dentro, Que eu não me torne escravo do meu celular nem do meu notebook nem da televisão, não quero perder as minhas prioridades. Eu sei bem que isso é uma doença perigosamente lenta e silenciosa. Te sinto mais naqueles que me esperam até
tarde para chegar em casa. Eles são tudo que eu tenho, então me ajuda a honrar a história de quem veio antes... E se lá na frente não der certo, que pelo menos seja algo bonito para meus netos contarem numa fogueira. Queria te agradecer pelas pessoas que tem cruzado meu caminho. Tenho aprendido muito com elas. As vezes dói, como aquilo que eu sentia no joelho quando era criança. Chamavam de “dor de crescimento”. Não deixa eu atrapalhar a vida de ninguém e faz de mim um fôlego para quem tem cruzado desertos. O SEnhor sabe que eu tenho essa mania de acreditar nas palavras, então afasta de mim os falsos homens e mulheres, e não permita que eu me deixe levar por superficialidades.
Às vezes recebo mensagens de pessoas de longe. Elas me contam de suas angústias e eu não sei o que dizer. Então, de todo meu coração eu apenas consigo sentir junto. Fico perdido, e frustrado por estar perdido. E na impotência de não ajudar, me rendo como Isaias em “Eis-me aqui, envia-me a mim”...
Agora minha semana é preenchida por centenas de pessoas, e eu falaria uma noite toda sobre cada uma delas.. Sonda meu coração e vê como é verdadeiro o querer bem que sinto pelos fr perto, e os de longe, os colegas de trabalho, os alunos de violão, os amigos verdadeiros, os irmãos de ministério, e minha família. De todas as idades, cores e credos.. Te vejo em todos eles.

Sabes que sou um pouco impulsivo, teimoso, fechado e introspectivo, então desculpa algumas insistências, não é falta de fé.. É só ansiedade.


Em teu nome... amém